O revestimento solar alemão CX 85, com acabamento semelhante à pele de vidro, será apresentado ao mercado vidreiro brasileiro durante a Glass South America, que acontecerá de 9 a 12 de maio no São Paulo Expo, SP. A tecnologia inovadora, distribuída com exclusividade no país pela Tek Energy, empresa brasileira representante de marcas conceituadas no mercado internacional para a geração de energia solar, estará exposta no estande da Alclean, especializada tecnologias para o mercado de vidro. Exposta em uma área vertical de 18m², além do design elegante e atual, a tecnologia irá demonstrar na prática a sua versatilidade de aplicação nas fachadas de residências e edifícios.

“Os módulos CX 85, que chegaram para atender características de cidades verticais já que podem ser instalados nas fachadas de edifícios. Uma solução estética capaz de aliar o design à sustentabilidade e gerar economia a médio e longo prazos”, conta o diretor comercial da Tek Energy Douglas Salgado.

“Para se ter uma ideia, a estimativa é que em cerca de 30 meses, caso o cliente opte por investir nos módulos, ele consiga recuperar a diferença de valor do vidro convencional para o fotovoltaico. Isso porque sua estética lisa e aparência elegante, com geração de energia, permitem substituir outros materiais utilizados como elementos arquitetônicos. São características que facilitam a integração do sistema de energia solar com a arquitetura, podendo gerar soluções criativas como a aplicação de painéis como brises, um elemento que controla a iluminação e ventilação das fachadas, revestimentos, pergolados, carport, entre outros”, complementa.

 

Conheça mais sobre o revestimento solar

O revestimento solar é uma película fina feita de Telureto de Cádmio (CdTe), um substrato que, comparado ao silício, possui média de eficiência melhor para o clima brasileiro. Essa película fica entre duas lâminas de vidro laminado, o que garante uma aparência similar às peles de vidro utilizadas em edifícios.

“O revestimento é indicado para áreas do edifício onde não há janelas e deve ser projetado em harmonia com o vidro convencional. Pode ser usado em uma parede cega ou no fosso de elevadores. Nesses locais, é comum que empresas e indústrias utilizem outros materiais como vidro para o acabamento. O investimento, além de servir como elemento de design, gera economia, pois é capaz de produzir a energia que pode ser injetada na rede elétrica e convertida em créditos na fatura”, explica o diretor.

No que se refere à geração de energia, o revestimento solar CX 85 possui excelente performance com luz refletida, como em dias nublados, e também é indicado para ambientes urbanos onde há um alto consumo de energia e pouca superfície para a instalação de painéis.O painel Calyxo tem superfície de 1,2m por 60 cm e pesa 12 kg. Foi aprovado nos testes, passou pelo processo de homologação junto ao INMETRO e possui elevada relação de desempenho com classificação positiva +2,5W/-0W. Há baixo índice de redução na performance com garantia de eficiência de 25 anos (mínimo de 80%).