Na Itália que é a terceira maior economia da Europa, o Primeiro Ministro Giuseppe Conte disse na que “nós devemos trabalhar para acelerar o processo de trabalho, que já está em progresso para a descarbonizarão do nosso sistema de produção”.

O Primeiro Ministro Conte disse ainda que foi prometido que apesar das divergências políticas entre os partido, ambos se comprometeram com as causas ambientais que podem afetar a política energética, incluindo medidas aos veículos elétricos e renováveis.

Na Espanha os cidadãos passam por uma transição no governo, já que várias figuras políticas foram condenadas por corrupção. Teresa Ribera, atual ministra da Transição Ecológica, promete uma reviravolta na luta contra as mudanças climáticas. Espera-se que a Espanha revogue o imposto sobre o autoconsumo solar, uma vez que a ministra disse “eu não acho que o carvão tenha um futuro muito grande”.

A Espanha abriu a porta para desenvolvedores com uma série de leilões, porém os grupos de energia renovável criticaram os leilões.

Por enquanto as políticas europeias estão interessadas em energias renováveis, elevando sua meta de energia renovável de 27% para 33% até 2030. As mudanças recentes de Itália e Espanha terão um efeito decisivo nas negociações, já que a meta para energias renováveis são de 35%, com perspectivas de geração de 132.000 empregos.