Foi desenvolvido pelos cientistas dos Estados Unidos, uma célula solar que converte a luz solar direta em eletricidade com uma eficiência de 44,5%. Entre as células disponíveis no mercado, até o momento, podemos dizer que esta célula é a com maior eficiência no mundo.

Para se ter uma noção, as células atuais são capazes de converter eletricidade com a eficiência de 25%. A célula solar com maior eficiência no Brasil é de apenas 17,3% de aproveitamento.

As células desenvolvidas através da Universidade de George Washington usam painéis fotovoltaicos concentradores (CPV), nesses painéis se usam lentes para concentrar a luz em minúsculas células solares.

Essa nova tecnologia permite que a célula empilhada vire um tipo de peneira para a luz solar, com componentes especiais nas camadas que absorvem a energia.

De acordo com Dr. Matthew Lumb, principal autor do estudo e cientista de pesquisa da George Washington School of Engineering diz que:

“Nosso novo dispositivo é capaz de desbloquear a energia armazenada nos fótons de longa duração, perdidos nas células solares convencionais e, portanto, fornece um caminho para a realização da célula solar de multi-junção final”.

 

O produto usa materiais que são encontrados em aplicações para laser e fotodetectores infravermelhos. A técnica conhecida como transferência de impressão, permite que a montagem tridimensional destes pequenos dispositivos tenha um alto grau de precisão. Toda tecnologia de conversão de energia, para aumentar a quantidade de energia produzida, deve-se melhorar ou aumentar a quantidade de conversores para obter eficiência dos próprios conversores. Com essa tecnologia os painéis solares iriam ocupar metade do espaço atual produzindo a mesma quantidade de energia que os painéis existentes.

Recentemente o uso da energia solar tem crescido no mundo todo, é importante buscar novas soluções para tornar a tecnologia mais eficiente para que possam substituir as fontes de energia fóssil.