Aneel eleva cobrança máxima da bandeira tarifária de R$ 3,50 para R$ 5,00 a cada 100 kWh. A alteração foi aprovada em reunião da agência na tarde desta terça-feira (24 de outubro).

A Agência Nacional de Energia (Aneel) aprovou nesta terça-feira o aumento da bandeira tarifária cobrada nas contas de luz. O reajuste já vale para as contas de novembro. O percentual de aumento subiu 42,8%.

Na prática o que vai ocorrer é que a bandeira tarifária vermelha, em vigor atualmente, saltará dos atuais R$ 3,50 para R$ 5,00 a cada 100kw/h

Já a tarifa amarela teve redução de 50% passando de R$ 2 para R$ 1. A proposta será submetida à consulta pública, podendo sofrer mudanças.

As bandeiras são usadas para determinar como está operando o sistema elétrico. Em períodos de pouca chuva as tarifas passam a operar com valores mais altos. Atualmente, com a ausência das chuvas, o sistema está com a tarifação mais cara, sinalizada pela bandeira vermelha.

A Aneel ainda determinou alteração no sistema que estabelece esse gatilho de compensação. Com a nova resolução, o sistema mudará a cobrança considerando o nível das usinas hidrelétricas.

A baixa nos reservatórios faz com que o sistema recorra à produção das usinas termelétricas que tem o modo de produção mais caro.

A conta de Energia Elétrica aumentou: metade do valor é de impostos.

O diretor geral da Aneel, Romeu Rufino, admite que deve abrir uma audiência pública para reavaliar o instrumento da bandeira tarifária.

A metodologia considerava o valor do Custo Marginal de Operação (CMO) para o próximo mês, mas o executivo considera que esse valor é muito volátil e defende que também seja considerado o nível de armazenamento. “É o que mais importa, olhando para o futuro, qual é de fato a condição de atendimento da carga.”

Já imaginou poder gerar sua própria energia solar e ficar livre das contas de energia elétrica, pelos próximos 30 anos? Fale conosco e saba como!